Pixel do facebook

Chegamos à terceira e parte da nossa série para falar sobre o marketing da loja, sendo que já passamos pelo planejamento e pela gestão financeira. A Internet é muito competitiva, portanto você precisa de uma estratégia para se destacar e conquistar o consumidor.

Poderíamos falar bastante de 4Ps, AIDA, 5As e tantos outros conceitos da área. Contudo, vamos transparecer essas matérias para você e focar na aplicação prática delas. Então continue com a gente nessa leitura porque é hora de pensar no marketing.

Pensando no Marketing

Vamos começar usando a definição de marketing do Google: “conjunto de ações, estrategicamente formuladas, que visam influenciar o público quanto a determinada ideia, instituição, marca, pessoa, produto, serviço etc”. Dada a definição, você já pode concluir que o marketing da loja é estratégico para influenciar o público e por consequência aumentar a aquisição do que você oferece.

Vamos acabar também com a crença limitante que diz que marketing é manipulação. Nada disso! O marketing é uma prática estratégica onde você oferece valor para o público que o deseja ou venha a desejar. Se você realmente entregar esse valor, está tudo certo, sendo que, diferente disso já não pode ser chamado de marketing. Tem outros nomes que não cabem aqui.

Agora que compreendemos o essencial para pensar no marketing da loja, podemos lidar com os produtos.

Enquadrando os produtos

Desde a fase de planejamento estamos falando sobre como lidar com os produtos e é seu dever conhecê-los bem. Cor, tamanho, variações, sazonalidade e consumidor-alvo são alguns dos elementos a levar em conta no marketing da loja virtual. Quando os produtos estão bem catalogados você já pode planejar o que promover e como explicar para o consumidor, o valor agregado. Assim você tem as primeiras informações para fazer o investimento em marketing.

Outra coisa: se você já tem loja física é primordial que a gestão esteja integrada. Para entregar o valor anunciado, a administração precisa ter as informações necessárias ao alcance para assim, tomar decisões corretas. Não dá para ficar enrolado com o livro caixa, que não bate com o estoque, que por sua vez não confere com as notas do fornecedor. Portanto, se ainda não tiver, considere seriamente implantar um sistema de gestão.

Aprendendo com as Mídias Sociais

Instagram, Facebook, Pinterest e Youtube são exemplos de mídias sociais que possuem informações valiosas para o marketing da loja. Nelas você fica sabendo o que as pessoas estão falando e o quão interessadas estão no que pretende oferecer.

Mídias Sociais no seu site de vendasPode ser que você tenha que “garimpar” bastante para encontrar o seu público, ou seja, ir bem fundo na segmentação. Para isso entre nos grupos, curta as páginas, inscreva-se nos canais e acompanhe as discussões em torno de cada assunto relacionado a você. Produza conteúdo gratuito para esses coletivos e analise qual é a reação. Se parece uma tarefa difícil, e realmente pode ser, então encontre especialistas para te ajudar.

Claro que o marketing da loja não para por aí e por isso a próxima seção fala sobre relacionamento com o cliente.

Preservando o Relacionamento

Tudo certo: você apareceu para o consumidor, atraiu até sua loja e ele comprou. Parabéns! No entanto o processo continua. Você tem que manter uma comunicação eficaz com o cliente e fazer com que ele advogue para sua marca.

Por falar em marca, tenha em mente o nosso aviso lá da fase de planejamento, onde dissemos que a noção do consumidor sobre o negócio tem que ser a mesma para ambos os meios. A logomarca da loja física, tem que ser a mesma do site de vendas. Se faz promoções no e-commerce, faça também na loja física. Preserve a identidade visual. Atraia os cliente com a opção de retirar na loja física e mantenha o pessoal treinado para recebê-lo. Enfim, existem muitas ações que conservam a experiência do usuário consistente. No entanto, se você deixá-lo confuso, a desconfiança surge e lá se foi o dinheiro da campanha, então seja cuidadoso.

Depois disso, vem o pós-venda. E-mail Marketing com ofertas especiais, um contato autorizado por telefone e presença nas mídias sociais são bons exemplos de como manter a chama acesa depois da aquisição. Isso também é entregar valor. Embora o cliente esteja mergulhado em um mar de informações como tantos outros, ele quer ser tratado de forma humanizada.

Usando a tecnologia a seu favor

São tantas coisas: controle de pedidos, gestão de pagamento, campanhas e muitas outras que não dá para fazer tudo na mão. E não dá mesmo. Sendo assim, além do clássico ERP para o dia a dia, use as ferramentas das plataformas de e-commerce para o marketing da loja. Aproveite também os dados de tráfego levantados por sistemas como Google Analytics e Ferramentas de Publicação do Facebook para segmentar suas campanhas porque dessa forma o investimento será otimizado, como falamos na parte II.

Tecnologias para venda pela internet

Quanto ao atendimento do dia a dia, podemos te indicar a automação para mídias sociais, robôs para conversas instantâneas no site (chatbots), aplicativos de mensagens e página na loja virtual sanando dúvidas frequentes. Esse tipo de ação empodera o consumidor ao deixá-lo à vontade para obter informações sobre seu negócio na hora que ele quiser.  Embora seja muito tradicional, vale ressaltar que aquele formulário de contato clássico também deixa uma porta aberta para o cliente. Atendimento por telefone e respostas rápidas aos e-mails ainda fazem a diferença para muitos consumidores, portanto, fique atento a isso.

Mídias Sociais mais uma vez

Olha elas aí de novo: as mídias sociais são uma ótima forma de preservar o relacionamento com o cliente. Portanto, tenha perfis atualizados regularmente com conteúdo adequado. Permita que o consumidor faça avaliações dos produtos através das redes porque é uma ótima forma de pesquisar satisfação.

Outra coisa boa das redes é que elas induzem a ações espontâneas permitindo assim que você faça uma análise mais precisa de como o cliente está percebendo sua marca. Para atendimento instantâneo elas também são boas porque a maioria tem a funcionalidade de chat ou similar.

Repensando o Marketing da Loja

Nenhuma campanha ou estratégia é eficaz eternamente e principalmente no começo você tem que se abrir para a mudança e o recomeço. Entretanto, faça isso com base em dados e experimentos para ser assertivo em suas ações.

O Teste A/B, por exemplo, é uma forma interessante de mensurar resultados. Nele você desenvolve experiências diferentes em uma página e apresenta para os usuários de forma planejada. A versão A pode ser a atual (controle) e a B pode ser a modificada (tratamento). Sendo assim, a partir daí você analisa qual versão produz mais interações positivas e entende quais mudanças implementar.

Outro meio de subsidiar reformulações é verificar as ferramentas analíticas. No Facebook Ads e no Google Analytics você consegue traçar metas de conversão e assim conhecer o passo a passo da interação do consumidor como demonstrado na imagem.

Google Analytics mostrando dados que subsidiam o marketing da loja

Com esses levantamentos bem feitos você pode aprimorar a comunicação com o consumidor e priorizar investimentos. A ligação do marketing com a parte financeira é muito forte porque um alimenta o outro e sendo assim vale a pena voltar na parte II de vez em quando para estudar melhor esse vínculo.

Conclusão

Nessa série nós começamos pelo planejamento do negócio para que você tenha um norte para se orientar. Em seguida abordamos a gestão financeira de e-commerce com foco nos aspectos mais práticos do dia a dia do empreendedor, e finalmente chegamos neste ponto para falar sobre o marketing da loja.

Obrigado por ter nos acompanhado até aqui. Agora você tem as informações essenciais para vender pela internet também.

Estaremos sempre à disposição para ajudar você a protagonizar com o seu negócio pela Internet. Assista nossa animação sobre como escolher uma agência capaz de ajudá-lo a crescer na rede e deixe seu contato logo abaixo porque é sempre um prazer te atender.