Pixel do facebook

Otimização para buscadores (Google, Bing, Yahoo etc.) é um hábito cotidiano, intencional e planejado. Então se você quer colocar seu site no ar ou já fez mas não está bem posicionado, prossiga nessa leitura para conhecer as técnicas de SEO (Search Engine Optimization) que levantam sua página nos resultados de buscas.

Palavras-chave

Palavras-chave são aquelas que esclarecem o contexto da publicação. Elas fazem as pessoas “sacarem” o assunto e por isso sua escolha é uma das técnicas de SEO mais relevantes. Talvez a mais importante de todas.
Ao planejar o seu site ou postagem pense em que contexto se encontra e no público que receberá essa mensagem. Existem ferramentas para te ajudar e o Google Trends é uma das indicadas.

Google Trends Página Inicial

O Google Trends mostra a relevância do termo de pesquisa por região do mundo e ainda compara para você com outros termos que podem ser de seu interesse. Vale a pena conhecer.

Comparação entre termos Google Trends - Uma das técnicas de SEO para palavras-chave

Dica: prefira as palavras-chave de cauda longa. Exemplo: ao invés de “tosa”, utilize “tosa de cães e gatos”, ou seja, combine o núcleo da frase com preposições e termos complementares.

Como são os robôs que indexarão suas páginas, posicione bem as palavras-chave, logo no “caminho deles”:

  • URL: ou seja, o link para seu conteúdo.
  • Título: o cabeçalho principal que deve deixar claro para robôs e humanos de que se trata sua postagem.
  • 1º parágrafo: geralmente ele é a meta descrição do conteúdo, sendo assim, determinante no ranking de resultados.
  • Imagens: até nas imagens? Isso mesmo, existem robôs indexando figuras e estão de olho no texto alternativo delas, portanto, quando solicitado forneça-o.
  • Densidade: faça a palavra-chave ser 1% do texto da publicação porque assim deixará clara sua relevância.

Depois das palavras chave, trabalhe outra das técnicas de SEO mais críticas: a elaboração dos metadados, tratada a seguir.

Metadados

Podem parecer complicados a princípio mas pense de forma simples: informações que o usuário não vê mas para os robôs são valiosíssimas.

Não é por acaso que o Facebook pega a capa da postagem quando você compartilha um link. Não é à toa que uma das boas práticas do Youtube é transcrever o vídeo. Não é por intuição que o navegador determina o idioma da página. Preste atenção a isso.

Os metadados mais básicos de uma postagem na web, comumente encontrados no cabeçalho HTML da página ,  são o título, a descrição e — olha elas aí de novo — as palavras-chave.

<html lang="pt-br">
<head>
	<title>Meu titulo</title>
        <meta name="description" content="sua descrição" />
        <meta name="keywords" content="p1,p2,p3" />
</head>

Você deve se perguntar: 😮 😮 😮 então vou ter que mexer com códigos?

Resposta: não necessariamente! Você pode, por exemplo, se cadastrar na plataforma Guiase.net e aproveitar os plugins assistentes quando estiver escrevendo. Como alternativa, podes também conversar sobre bits e bytes com seus desenvolvedores.

Protocolo Open Graph: a chave para as mídias sociais

O protocolo Open Graph transforma qualquer página da web em um gráfico social. Por exemplo, isso é usado no LinkedIn para que páginas tenham a mesma funcionalidade de objetos da rede social.

Embora muitas tecnologias e esquemas diferentes existam e possam ser combinados, não existe uma única tecnologia que forneça informações suficientes para representar uma página dentro do gráfico social. O protocolo Open Graph baseia-se nessas tecnologias e oferece aos desenvolvedores uma “coisa a implementar”. Saiba mais sobre o protocolo Open Graph em ogp.me.

Para transformar suas páginas da Web em objetos gráficos, você precisa adicionar metadados básicos, o que significa colocar tags <meta> adicionais na <head>. As quatro propriedades requeridas para cada página são:

  • og:title – O título do seu objeto como deve aparecer no gráfico, por exemplo, “Meu post”.
  • og:type – O tipo do seu objeto, por exemplo, “video.movie”. Dependendo do tipo que você especificar, outras propriedades também podem ser necessárias.
  • og:image – Uma URL de imagem que deve representar seu objeto no gráfico.
  • og:url – O URL canônico do seu objeto que será usado como seu ID permanente no gráfico, por exemplo, “http://www.belavistaguiase.com.br/contato/”.

E de novo aproveite plataformas como a Guiase.net que cuida dessas coisas para você, inclusive da estrutura e semântica do seu site — outra das técnicas de SEO que trataremos a seguir.

Estrutura do site e das postagens

Aqui está o pulo do gato que nem todos levam em consideração mas que diferencia muito o “ótimo” do “bom”.

Até o HTML4 não tínhamos elementos para definir bem a semântica de nossas páginas, então não conseguíamos informar para os robôs onde era o menu e onde era a seção principal da nossa publicação, portanto enfrentávamos dificuldades ao produzir o “ótimo”.

Hoje em dia temos o HTML5 que trouxe os elementos <header> para o cabeçalho da página, o elemento <aside> para a barra lateral e o maravilhoso elemento <article> que finalmente nos permitiu indicar explicitamente onde está o conteúdo.

—E o que é que eu tenho a ver com isso?

Tudo. É você quem escolhe o tema do seu site, portanto use essas informações  e faça uma escolha consciente.

Em SEO, o lindo design pobre em semântica não vale nada. Sim, é isso, aceite a dura verdade que o comercial antes do seu vídeo no Youtube não conta.

Dependendo de sua área de trabalho você pode não conseguir tratar desse aspecto sozinho, porém, converse com o designer e o desenvolvedor tendo a “planta” abaixo em mãos e deixando claro que esse é um critério importante para você.

Estrutura HTML5 básica de um post

Lembre-se também de preservar a hierarquia de tópicos do seu conteúdo. Assim como ela é importante para a mídia impressa, é também para a web.

No momento da reunião de aceite peça à equipe que demonstre esse aspecto somado aos demais que você aprendeu aqui.

Seja auxiliado com as técnicas de SEO

Existem muitas outras técnicas de SEO para imagens, texto, metadados e semântica que não cabem em uma única postagem. Porém, para saber se o seu site tem o que é preciso para estar no topo dos resultados de busca, conte com uma avaliação profissional da Guia-se Bela Vista.